Deslocamentos

Exposição fotográfica

Dizem por aí que as crianças conseguem enxergar o mundo de uma maneira bem diferente. Nada é óbvio, estático e objetivo. Pelos seus olhos, o dia a dia torna-se fantástico e o inimaginável, realmente, acontece.

Agora, imagine se você fosse convidado para conhecer o Aglomerado Santa Lúcia – Morro do Papagaio – pelos olhos de uma criança? Aliás, pelos olhos de jovens fotógrafos que participam da oficina de fotografia idealizada pelo projeto Imaginário Coletivo e ministrada pelo fotógrafo Jorge Quintão, localizada no Morro do Papagaio, em Belo Horizonte, e que têm as suas fotos expostas na mostra Deslocamentos.

Deslocamentos surpreendem não somente pela qualidade técnica e estética, mas também pelo viés crítico, político e lúdico captados pelos jovens fotógrafos.

Enquanto a gastronomia do Morro chama atenção de alguns olhinhos – gulosos pela sinestesia provocada por pratos produzidos pelos chefs do Aglomerado para um programa do Governo, através da Secretaria de Estado de Turismo, em parceira com o Muquifu (Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos) – a angústia e desilusão de alguns dos moradores das Vilas São Bento e Esperança – que estão sendo desocupadas em virtude do Programa Vila Viva – é o foco de outros.

Imaginário Coletivo

Imaginário Coletivo

Fotografia para Transformação

O Imaginário Coletivo é um projeto com o objetivo de desenvolver ações que utilizam a imagem como vetor para promoção da inclusão social, através da fotografia e das artes visuais, na formação de crianças e adolescentes em aglomerados de Belo Horizonte.

O projeto possibilita o desenvolvimento de ações capazes de modificar contextos e espaços, imprimindo à fotografia o status de democratização da informação, instrumento de arte, reflexão e construção de identidades.

Morro do Papagaio

O Morro do Papagaio

Aglomerado Santa Lúcia

"O Morro do Papagaio são muitos morros. Sua composição engloba cinco comunidades e sua cultura é marcada pela diversidade. Na arquitetura convivem, lado a lado, barracões e mansões. No urbanismo, centenas de becos construídos pelos usos criam outras lógicas espaciais, na religião, profano e sagrado se misturam, com dezenas de templos católicos e evangélicos, terreiros de candomblé e o sincretismo das tradicionais benzedeiras. Na música escuta-se de tudo, do samba ao rap, forró, axé, duplas sertanejas e cânticos religiosos."

Trecho do Livro "Morro do Papagaio", da escritora Márcia Cruz.

Next

Fotos

Algumas Imagens produzidas por jovens com idades entre 11 e 13 anos de idade, que compõem a mostra "Deslocamentos"

Patrocínio:



Apoio:

Impact HUB Belo Horizonte
Escola Municipal Ulysses Guimarães
Programa Escola Integrada
Multiverse | Agência de Inovação