Sobre

O Imaginário Coletivo é um projeto com o objetivo de desenvolver ações que utilizam a imagem como vetor para promoção da inclusão social, através da fotografia e das artes visuais, na formação de crianças e adolescentes, moradores de áreas de baixos Índices de Desenvolvimento Humano, sujeitos a risco social.

A fotografia, para muitos, é arte. Para outros e, fundamentalmente, no Imaginário Coletivo, coordenado pelo fotógrafo Jorge Quintão, é uma forma de ressignificar a realidade, um instrumento capaz de formar jovens e contribuir, efetivamente, para a sua inclusão na sociedade de forma justa, consciente, crítica e igualitária. Jorge ministra cursos de fotografia participativa e, desde 2009, ensina a arte da fotografia de uma forma lúdica e divertida.

A iniciativa possibilita o desenvolvimento de ações capazes de modificar contextos e espaços, imprimindo à fotografia o status de democratização da informação, instrumento de arte, reflexão, construção da identidade e direcionamento vocacional.

Os jovens participantes são provocados a refletir sobre suas experiências de vida, no contexto sócio-cultural em que habitam, fortalecendo sua identidade, das suas famílias e, consequentemente, da sua comunidade.

Imaginário Coletivo: o porquê.

O termo Imaginário Coletivo representa “um conjunto de símbolos, conceitos, memória e imaginação de um grupo de indivíduos pertencentes a uma comunidade específica, a sensibilização dessas pessoas em relação a esses símbolos compartilhados reforça o sentido de comunidade”, neste sentido, a fotografia, como linguagem estética e técnica, permite a crianças e adolescentes expressarem suas ideias e sentimentos, gerando entusiasmo e comunhão, de forma que repensem seus relacionamentos e a maneira como enxergam o mundo. Portanto, eles passam a vivenciar um processo no qual são protagonistas de ações sociais, além de retratar o seu universo, através de um olhar particular do lugar onde vivem.

Missão

Democratizar a informação através da fotografia, utilizando-a como instrumento de arte, reflexão, informação, direcionamento vocacional, para empoderar e dar voz a sujeitos.

Objetivo

Dar voz e assegurar a auto-estima de indivíduos nas comunidades em que estão inseridos, através de conhecimento e técnicas sobre linguagem fotográfica.

Prêmios

Como forma de reconhecimento pelo trabalho realizado com projetos que utilizam a fotografia como vetor para a transformação social, Jorge Quintão recebeu em 2009, 2010, 2011 e 2014 o prêmio Parceiro da Escola Integrada (categoria pessoa física) concedido pela Prefeitura de Belo Horizonte (Secretaria de Educação), além de receber o prêmio Bom Exemplo 2011 (categoria Cidadania), concedido pela Rede Globo Minas em parceria com o Jornal O Tempo e a Fundação Dom Cabral.

Em janeiro de 2013 o Imaginário Coletivo foi agraciado com o Prêmio ANU Dourado, concorrendo com  outros projetos sociais de expressão de todo território nacional. A premiação foi concedida pela CUFA, Central Única das Favelas, no Rio de Janeiro.

Projeção

Em 2012, o Imaginário Coletivo marcou presença no V Fórum de Educação Integral, realizado na Universidade FUMEC, em Belo Horizonte. Na apresentação, realizada em conjunto com a educadora Bia Goulart, foram discutidos assuntos sobre sustentabilidade nas escolas, autonomia e formas de usar a fotografia para transformar comunidades e pessoas.

Ainda em 2012, o Imaginário Coletivo recebeu um convite do TEDx Belo Horizonte e realizou, durante o evento internacional que ocorreu na cidade, a exposição fotográfica Retratos do Morro do Papagaio. Na ocasião, o Imaginário Coletivo trouxe ao público do TEDx Belo Horizonte a produção fotográfica de jovens, com idades entre 13 e 16 anos, ex-integrantes do Programa Escola Integrada da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

Em 2013, os jovens fotógrafos do Imaginário Coletivo receberam um convite do Governo do Estado de Minas Gerais para retratar a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, sede oficial do Governo. Da iniciativa surgiu a exposição e o ensaio fotográfico dos jovens do Morro do Papagaio se tornou a primeira mostra a ser realizada nos corredores da Sede do Governo, intitulada Continuum.

Em 2015 o Imaginário Coletivo foi selecionado para o Social Good Brasil Labum laboratório pioneiro no Brasil no uso de tecnologia para impacto social. Durante 4 meses, inovadores de todo o Brasil participaram de encontros presenciais e trocas de aprendizados através de um ambiente virtual para a criação de negócios sociais.

Público-alvo

Jovens com idades entre 09 e 20 anos, moradores de comunidades, pertencentes às classes sociais C e D.

Atividades

Cursos (fotografia participativa, fotografia avançada, fotografia analógica, edição de imagens, pinhole, literatura, empreendedorismo, teatro, dentre outras);
– Formação continuada;
– Cursos à distância;
– Seminários;
– Exposições;
– Palestras;
– Atividades interdisciplinares;
– Participação em shows, congressos, feiras, palestras, eventos culturais, etc.
– Ações sociais: visitas a asilos, creches e centros de recuperação de menores.

Para saber mais detalhes ou contratar cursos do Imaginário Coletivo, clique aqui.